ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS

Dia sem medalhas e de resultados irregulares dão a tônica do sábado do Brasil

Londres, 4 ago (EFE).- Em dia marcado por maus resultados nas modalidades individuais e vitórias nos esportes coletivos, o Brasil viu neste sábado o primeiro caso de doping envolvendo um de seus atletas: a remadora Kissya Cataldo. A atleta foi suspensa preventivamente pela Confederação Brasileira de Remo por ter apresentado resultado analítico adverso em um […]

Por Da Redação Atualizado em 8 out 2021, 17h32 - Publicado em 4 ago 2012, 21h00

Londres, 4 ago (EFE).- Em dia marcado por maus resultados nas modalidades individuais e vitórias nos esportes coletivos, o Brasil viu neste sábado o primeiro caso de doping envolvendo um de seus atletas: a remadora Kissya Cataldo.

A atleta foi suspensa preventivamente pela Confederação Brasileira de Remo por ter apresentado resultado analítico adverso em um exame realizado no Brasil no dia 12 de julho pela Federação Internacional de Remo.

Com isso, a atleta ficou de fora da disputa, realizada neste sábado, da final C da prova do single-skiff nos Jogos Olímpicos de Londres. Este foi o primeiro caso de doping do país nesta edição das Olimpíadas.

No atletismo, a maior decepção foi Fabiana Murer, uma das favoritas no salto com vara, que ao ser a 14ª colocada na eliminatória disputada neste sábado, ficou fora da final da modalidade.

O saltador Mauro Vinicius da Silva foi outro que acabou não indo bem, ficando no sétimo lugar na final do salto em distância, depois de ter sido o primeiro na fase qualificatória. Duda, como é conhecido, só conseguiu saltar 8m01, marca 10 centímetros inferior a obtida ontem e queimou quatro de seis saltos. O ouro foi para o britânico Greg Rutherford, que saltou 8m31.

Ainda no Estádio Olímpico, os donos da casa foram a loucura com as vitórias de Mohamed Farah, nos 10 mil metros, e de Jessica Ennis, no heptatlo. Outro destaque foi a jamaicana Shelly-Ann Fraser, que conquistou o segundo título olímpico consecutivo nos 100 metros rasos. Na prova masculina, o americano Tyson Gay e os jamaicanos Asafa Powell e Johan Blake, se garantiram na final.

No boxe e no vôlei de praia, o dia foi ‘meio’ satisfatório. Candidato à medalha de ouro, o pugilista Everton Lopes foi eliminado dos Jogos Olímpicos de Londres logo em sua estreia nas oitavas de final da categoria meio-médio ligeiro (até 64kg), contra o cubano Roniel Iglesias. Já Yamaguchi Falcão venceu o chinês Fanlong Meng pela categoria meio-médio (até 81kg) e avançou às quartas de final.

Nas areias, a dupla Alison e Emanuel fez valer o seu favoritismo e garantiu vaga nas quartas de final ao derrotar os alemães Jonathan Erdmann e Kay Matysik. Mais tarde, Maria Elisa e Talita caíram diante das tchecas Marketa Slukova e Kristyna Kolocova e deram adeus as chances de medalha nas quartas de final.

Nos campos e quadras, os bons resultados vieram, primeiro com a seleção de basquete masculino, que arrasou a China, por 98 a 59, e agora vai decidir com a Espanha o segundo lugar do grupo B. Quem vencer, poderá ter que enfrentar os Estados Unidos, em uma hipotética semifinal.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

A seleção de futebol sofreu muito, mas garantiu vitória sobre Honduras e ficou perto de garantir a conquista da medalha. A vitória por 3 a 2, colocou o time de Mano Menezes nas semifinais, onde enfrentará a Coreia do Sul. Japão e México disputam a outra vaga na final. Os adversários do Brasil conquistaram vitória heróica, nos pênaltis, contra a Grã Bretanha.

Na natação, os fãs do esporte puderam ver a última competição da carreira do mito Michael Phelps. O americano, junto com a equipe de seu país, venceu o revezamento 4×100 medley. Assim, o nadador chegou às 22 medalhas olímpicas na carreira, sendo 18 delas de ouro.

O encerramento das finais da natação também foram de quebra de recordes mundiais. Duas marcas foram superadas: o chinês Yang Sun, que nadou em 14min31s02, os 1.500 metros livre. O revezamento 4×100 medley feminino dos Estados Unidos também passou a ter a melhor marca da história, com 3min52s05.

As piscinas dos Jogos Olímpicos também conheceram a sua nadadora mais rápida. A holandesa Ranomi Kromowidjojo venceu, com direito a quebra de recorde olímpico, os 50 metros rasos, com o tempo de 24s05.

O dia no tênis foi o primeiro de distribuição de medalhas. A americana Serena Williams não teve piedade de Maria Sharapova na disputa pelo ouro feminino, com um absoluto 2 sets a 0, com parciais de 6-0 e 6-1, na final com menos games na história das finais olímpicas. A americana ainda completou o ‘Carrier Golden Slam’, tendo vencido os quatro Grand Slams e o título dos Jogos.

A americana ainda pode conquistar ouro nas duplas, com a irmã Venus, na final contra as tchecas Andrea Hlavackova e Lucie Hradecka. Nas duplas masculinas o ouro já está decidido, e também foi para os Estados Unidos, com a dupla Bob e Mike Bryan, que bateram os franceses Michael Llodra e Jo Wilfred Tsonga.

O dia olímpico também teve uma festa no Velódromo, comandada por um superstar, Paul McCartney. Ao final da prova vencida pelas britânicas Joanna Rowsell, Laura Trott e Dani King, no ciclismo de perseguição, o público fez coro, cantando ‘Hey Jude’, uma das composições de maior sucesso do ex-beatle.

No quadro de medalhas, Estados Unidos e China seguem duelando medalha a medalha pela liderança. Em medalhas de ouro, a diferença é de apenas uma a favor dos americanos (26 a 25). No total, a briga é acirrada, com leve vantagem para os EUA (54 a 53).

Em dia com seis ouros, a Grã Bretanha assumiu e se consolidou na terceira posição, com 14 ouros. No total, os anfitriões obtiveram 29 medalhas. O Brasil está na 25ª colocação, com um ouro, uma prata e quatro bronzes. EFE

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade