Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Corinthians ofereceu ajuda à família de Kevin. O pai recusou

Em nota, clube diz que conversou duas vezes com a família do garoto morto no estádio

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 16h46 - Publicado em 19 mar 2013, 17h17

Renda do amistoso entre Brasil e Bolívia, dia 5 de abril, será entregue à família de Kevin, morto aos 14 anos por um sinalizador disparado por um torcedor corintiano, no jogo San José x Corinthians

O Corinthians informou nesta terça-feira que a família do torcedor Kevin Beltrán Espada, morto por um sinalizador lançado por um torcedor corintiano, recusou uma oferta de “ajuda humanitária” feita em dois contatos telefônicos. Kevin morreu no dia 20 de fevereiro, na arquibancada do estádio Jesus Bermudez, durante o jogo entre San José e Corinthians, pela fase de grupos da Libertadores. Segundo o Corinthians, os contatos foram realizados no início desta semana, no domingo e na segunda-feira, com intermediação do vice-cônsul brasileiro na Bolívia, em Cochabamba, depois de quatro tentativas. “Mesmo sabendo que nenhuma ação vai desfazer o triste episódio e acabar com a dor da família, o Corinthians também ofereceu uma ajuda humanitária, recusada pelos parentes de Kevin”, diz um trecho da nota.

Leia também:

Jogos e preces: a vida dos 12 corintianos presos em Oruro

Na Bolívia, a confissão do menor corintiano não convence

Morte de Kevin pode ficar impune dentro e fora de campo

O caso ainda está sendo investigado pela polícia boliviana. Os 12 torcedores do Corinthians presos imediatamente após a partida continuam detidos em Oruro, apesar de um menor de idade ter assumido – já no Brasil – a autoria do disparo do sinalizador. O depoimento dele não foi levado em conta até agora pela justiça boliviana. A diretoria do San José chegou a sugerir um amistoso entre os dois clubes em que a renda fosse revertida para a família de Kevin, mas não teve resposta do Corinthians. Os dois times já têm encontro marcado para o dia 10 de abril, no Pacaembu, pela última rodada do Grupo 5. Antes disso, no dia 5, Brasil e Bolívia farão um amistoso, em Santa Cruz de la Sierra, em que a arrecadação será entregue aos pais do garoto morto. “A melhor maneira de prestar solidariedade a esse menino é a seleção jogar na Bolívia de graça, com renda total à família”, disse o presidente da CBF, José Maria Marin, ao anunciar o amistoso – no qual, por não ser data Fifa, o técnico Luiz Felipe Scolari deve convocar apenas jogadores que atuam no futebol brasileiro.

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

A nota do Corinthians:

“Nos últimos dois dias (17 e 18 de março), a direção do Sport Club Corinthians Paulista entrou em contato com a família de Kevin Beltrán Espada. Por respeito à memória do menino e à dor dos parentes, o clube solicitou ao Vice-Consulado do Brasil em Cochabamba, na Bolívia, para que fizesse o convite formal aos pais do jovem. Após quatro tentativas, o Corinthians recebeu uma resposta positiva para que a conversa fosse realizada.

Nos dois contatos feitos entre a direção do Corinthians e o pai de Kevin, Sr. Limbert Beltrán, o clube reforçou o luto e o pesar pelo precoce falecimento do torcedor, no último dia 20 de fevereiro, em Oruro (BOL).

Mesmo sabendo que nenhuma ação vai desfazer o triste episódio e acabar com a dor da família, o Corinthians também ofereceu uma ajuda humanitária, que foi recusada pelos parentes de Kevin Beltrán Espada. Em ambos os contatos, houve participação do vice-cônsul do Brasil em Cochabamba, Vitorino Barros da Silva.

O Sport Club Corinthians Paulista respeita a decisão da família de Kevin e reforça o seu sentimento de tristeza pelo precoce falecimento do torcedor.”

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade