CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Contra Itália, Brasil joga à moda espanhola

Desde que a seleção italiana passou a ser comandada por Cesare Prandelli, em 2010, a Azzurra só perdeu dois jogos oficiais. Um deles foi a final da Eurocopa, no ano passado, para a Espanha. O outro aconteceu no sábado, em Salvador, quando o Brasil derrotou a Itália por 4 a 2, na Arena Fonte Nova. […]

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 10h03 - Publicado em 23 jun 2013, 13h05

O jogo em números

Desde que a seleção italiana passou a ser comandada por Cesare Prandelli, em 2010, a Azzurra só perdeu dois jogos oficiais. Um deles foi a final da Eurocopa, no ano passado, para a Espanha. O outro aconteceu no sábado, em Salvador, quando o Brasil derrotou a Itália por 4 a 2, na Arena Fonte Nova. Talvez não por coincidência, o Brasil replicou características marcantes do estilo de jogo da atual campeã da Europa e do mundo. As estatísticas da partida dentro do banco de dados da Opta, líder mundial no registro detalhado dos grandes jogos do futebol internacional, mostram que o time de Luiz Felipe Scolari teve pouco menos de 60% da posse de bola, sempre controlando o ritmo do jogo e tomando a iniciativa. O Brasil trocou 416 passes contra apenas 277 dos italianos. Além disso, sua precisão foi melhor: 88% de acerto contra 79% dos visitantes. Outro aspecto que salta aos olhos nos dados da partida é o grande esforço de Prandelli para tentar atrapalhar a vida de Neymar. No gráfico que mostra o posicionamento médio dos atletas na partida – ou seja, qual foi a posição em que o jogador mais atuou -, o camisa 10 do Brasil aparece cercado por pelo menos três atletas italianos (durante a maior parte do jogo, Abate e Bonucci foram seus perseguidores mais implacáveis). Em outro gráfico que ilustra bem a superioridade brasileira, o rastramento da movimentação dos jogadores da seleção mostra um time equilibrado e bem distribuído pelo gramado, sem priorizar apenas uma faixa do campo. E o craque da equipe, Neymar, voltou a fazer um grande jogo. Mesmo seguido de perto pelos marcadores, o camisa 10 errou poucos passes e cruzamentos.

A distribuição da seleção brasileira pelo gramado: com equilíbrio tático
A distribuição da seleção brasileira pelo gramado: com equilíbrio tático VEJA
Os passes e cruzamentos, certos (verde) e errados (vermelho) de Neymar
Os passes e cruzamentos, certos (verde) e errados (vermelho) de Neymar VEJA

Leia também:

Em clássico emocionante, Brasil bate Itália e avança forte

Com dois gols, Fred recompensa a teimosia de Felipão

Felipão, recordista, acha que sua equipe enfim está pronta

(Giancarlo Lepiani, de Salvador)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês