CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Com vitória sobre o Bahia, Cruzeiro conquista o 1º turno

Time mineiro não tomou conhecimento do Bahia na Fonte Nova e fez 3 a 1

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 03h52 - Publicado em 5 set 2013, 00h28

Restando uma rodada para o fim da primeira metade do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro conquistou na noite desta quarta-feira o título simbólico do primeiro turno ao vencer o Bahia por 3 a 1 na Fonte Nova, em Salvador. Com o triunfo,o time mineiro chegou aos 37 pontos, quatro a mais que o segundo colocado, o Atlético-PR – que bateu o Santos por 2 a 1 em casa e alcançou sua melhor posição no torneio até aqui. Já o Bahia permanece na nona posição, com 23 pontos.

Leia também:

Corinthians e Vasco são punidos pela pancadaria no DF

O placar foi aberto por Borges, aos 25 do primeiro tempo. Everton Ribeiro, aos 40 minutos, e Júlio Baptista, aos 45 da etapa final, completaram o marcador do lado cruzeirense. Fahel, aos 23 minutos do segundo tempo, fez o único gol do Bahia. Na próxima rodada, o time de Salvador tenta a reabilitação no sábado, contra o Fluminense, no Maracanã. No domingo, o Cruzeiro recebe o Flamengo, no Mineirão.

O jogo – O técnico do tricolor baiano, Cristóvão Borges, surpreendeu ao escalar três zagueiros para a partida, tentando segurar o ataque do Cruzeiro. No início da partida, porém, a mudança do esquema resultou no recuo do time baiano, que rapidamente passou a ser pressionado pela equipe mineira.

Mesmo jogando em casa, o Bahia se limitava aos contra-ataques – e chegou a levar perigo, como em um chute do lateral direito Madson, aos 18 minutos, após falha da defesa cruzeirense, que passou perto do gol de Fábio. Não demorou, porém, para o Cruzeiro abrir o placar. Aos 24, Júlio Baptista chegou a acertar uma cabeçada na trave, após cruzamento de Egídio, pela esquerda. No minuto seguinte, em novo cruzamento da esquerda, desta vez de Willian, Borges apareceu no meio dos zagueiros e, de peixinho, empurrou para o gol.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

A partir daí, o Cruzeiro passou a administrar o jogo, esperando o tempo passar e buscando brechas na defesa do Bahia, que errava muitos passes e não conseguia ameaçar. E, em um avanço pela direita, o time mineiro chegou ao segundo gol. Ceará passou para Éverton Ribeiro, que, dentro da área, limpou dois adversários antes de chutar forte, sem chance para Marcelo Lomba.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

No intervalo, Cristóvão Borges tentou tornar o Bahia mais ofensivo. Sacou Madson, que vinha sendo vaiado pela torcida, para colocar o atacante Wiliam Barbio. E o time baiano começou o segundo tempo pressionando o Cruzeiro. Logo aos 7 minutos, porém, o meia Marquinhos Gabriel, principal articulador da equipe, sentiu uma lesão na coxa direita e teve de ser substituído.

O Cruzeiro diminuiu o ritmo, tentando administrar o resultado, mas a postura fez o Bahia se animar. Aos 18, Barbio avançou e passou para Wallyson, de frente para o gol. O atacante, porém, pegou fraco na bola, facilitando a defesa de Fábio. Aos 24, o time baiano conseguiu diminuir. Em cobrança curta de escanteio, Raul recebeu e cruzou. Fahel apareceu no meio dos zagueiros e cabeceou forte.

O gol sofrido acordou o Cruzeiro, que voltou a tentar atacar, e empurrou o Bahia, que partiu em busca do empate. Melhor para o líder do campeonato, que chegou ao terceiro, com Júlio Baptista, aos 45 minutos. Willian cobrou falta pela esquerda, Dedé cabeceou, Lomba espalmou e o atacante cruzeirense aproveitou o rebote para fechar o placar.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês