Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Com vitória magra, o Corinthians avança à final do Mundial

Guerrero fez o único gol do jogo. No fim, a equipe foi pressionada pelo Al Ahly

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 23h43 - Publicado em 12 dez 2012, 09h38

Curiosamente, o último atleta a marcar pelo Corinthians em Mundiais também foi um estrangeiro, o volante colombiano Rincón, na vitória sobre o Al Nassr, em 2000

O Corinthians jogou para o gasto nesta quarta-feira e garantiu vaga na final do Mundial de Clubes, no Japão, ao vencer o Al Ahly, do Egito, por 1 a 0, com direito a quase 45 minutos de pressão intensa dos egípcios no segundo tempo da partida. O gol da vitória alvinegra no Estádio Toyota, com grande presença da torcida corintiana, foi marcado pelo centroavante peruano Paolo Guerrero, aos 30 minutos de jogo, completando cruzamento de Douglas. Agora, a equipe paulista aguarda o vencedor do duelo entre Monterrey e Chelsea, na outra semifinal, que acontece na quinta, também às 8h30 (horário de Brasília), para saber quem será seu adversário. Os africanos entrarão em campo também no domingo, só que às 5h30 (horário de Brasília), para enfrentar a equipe derrotada no duelo entre mexicanos e ingleses, na disputa do terceiro lugar.

Na semifinal desta quarta, o técnico Tite escalou o time que considera ideal, com Guerrero no comando de ataque e o forte meio-campo formado por Ralf, Paulinho, Danilo e Douglas. Durante a preparação para disputar a partida, o técnico treinou muito a marcação no campo do adversário. O Al Ahly, por sua vez, atuou sem um de seus principais jogadores, o meia Ghaly, que se contundiu durante a partida contra o Sanfrecce Hiroshima, no último domingo, e ficará seis meses fora dos gramados. Seu substituto naquela partida, o veterano Aboutrika, seguiu no banco, e quem ganhou a vaga entre os titulares foi Rabia. O jogo começou muito estudado, com marcação intensa pelos dois lados. O pouco espaço disponível para as jogadas fazia Corinthians e Al Ahly optarem pelos passes curtos, na expectativa de um erro do outro lado, para que fosse possível imprimir ritmo mais forte.

Controle – A primeira boa oportunidade da partida foi do Corinthians, aos 9 minutos de jogo. Em jogada iniciada pela direita, a bola passou pela defesa e sobrou para Douglas, que bateu de primeira da entrada da área, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo, assustando o goleiro Ekramy. Os atuais campeões africanos não se intimidaram e responderam ao campeão da Libertadores já no minuto seguinte. Em cruzamento na área corintiana, Rabia apareceu como homem surpresa e testou, mas também sem conseguir acertar o gol, já que a bola saiu à esquerda do goleiro Cássio. Com mais posse de bola, o Corinthians aumentava a pressão sobre o rival, que mostrava a intenção de se defender e apostar nos contra-ataques. Mesmo assim, faltava a finalização ao gol – que enfim veio aos 30 minutos de jogo, quando Guerrero cabeceou para o fundo das redes, após cruzamento preciso de Douglas.

Curiosamente, o último atleta a marcar pelo Corinthians em Mundiais também foi um estrangeiro, o volante colombiano Freddy Rincón, na vitória sobre o Al Nassr, por 2 a 0, em 2000. Apesar do gol obrigar o Al Ahly sair mais para o jogo, o Corinthians pouco foi ameaçado no fim do primeiro tempo, por causa das dificuldades do adversário na organização defensiva. A primeira etapa da partida terminou com 59% de posse de bola a favor da equipe brasileira. Depois do intervalo, os dois times voltaram a campo sem alterações, tanto nas escalações como na postura – o Corinthians continuava melhor. Aos 4 minutos, no entanto, um susto, quando Suliman apareceu sozinho no meio da zaga, jogando de cabeça por cima do gol aberto de Cássio. A arbitragem já tinha marcado impedimento na origem da jogada. Aos 9 minutos aconteceu a primeira alteração, com a entrada de Aboutrika.

Sufoco – Um minuto depois, o Al Ahly viu o goleiro Ekramy sentir uma lesão muscular ao cobrar uma falta. Mesmo assim, o camisa 1 seguiu na partida até os 18 minutos, quando deu lugar a Abou Elseoud. O susto de ter ficado perto de levar um gol no início da etapa final acabou fazendo o Corinthians atuar de forma mais cautelosa. Com isso, o Al Ahly é que passou a ter o domínio territorial, trocando passes e apostando nas jogadas de linha lateral. Aos 20 minutos, em belo passe de Aboutrika partindo da intermediária, Fathi apareceu nas costas de Fábio Santos e deu leve toque por baixo de Cássio. A bola acabou batendo na rede pelo lado de fora. A pressão do Al Ahly continuou sendo muito forte e aos 27, foi a vez de Aboutrika atacar, ao bater de fora da área, em bola que desviou na zaga e saiu pela linha de fundo. Aos 29, Tite fez a primeira mexida, colocando Romarinho no lugar de Emerson.

Cinco minutos depois, veio a segunda mexida, com Jorge Henrique no lugar de Douglas. Ao mesmo tempo, o técnico Hossam El Badry também mudou o Al Ahly, colocando Meteab no lugar de Gedo, na sua última mexida na partida. As alterações feitas pelo treinador brasileiro não surtiram efeito na intenção de reduzir o domínio dos rivais. Tanto que, aos 37 minutos, Soliman bateu bem de fora da área, mas a bola passou a centímetros do travessão de Cássio, na última grande chance do time egípcio marcar e levar a partida para a prorrogação. Com os cinco minutos de acréscimo dados pelo árbitro mexicano Marco Rodríguez no segundo tempo, o técnico Tite aproveitou para esfriar o jogo, aos 46 minutos, tirando o heroi da classificação, Guerrero, e colocando o volante Guilherme Andrade. O Corinthians gastou o resto do tempo e só esperou o apito final para comemorar a ida à decisão.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade