CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Com tabu ampliado, Elias vê atletas do São Paulo ‘com raiva’ do Corinthians

Volante Souza reclamou de falta de apoio da torcida são-paulina após o clássico

Por Da Redação Atualizado em 29 set 2021, 21h55 - Publicado em 9 mar 2015, 10h11

A vitória por 1 a 0 do Corinthians sobre o São Paulo na tarde de domingo ampliou um tabu do clássico: a equipe tricolor não vence o maior rival no Morumbi há mais de oito anos, agora com seis derrotas e sete empates. O pequeno público que foi ao estádio pressionou os atletas do São Paulo (assim como fez no treinamento aberto prévio à partida), e o nervosismo do time pôde ser visto em campo, com excesso de faltas e reclamações com a arbitragem. A irritação dos rivais chamou a atenção do meia Elias, do Corinthians.

Leia também:

Corinthians vence o São Paulo e mantém tabu no Morumbi

São Paulo tem pior público na Libertadores em 23 anos

“Eles entram pressionados, com raiva. E quando se faz as coisas com raiva, às vezes, não dá certo”, afirmou o meio-campista após a partida. Ele admitiu que o bom retrospecto anima os corintianos e desmotiva o rival, mas evitou euforia. “Incomoda o São Paulo, claro que incomoda. O torcedor pressiona, a diretoria pressiona. Só que a gente está aqui para fazer o nosso trabalho, o tabu a gente deixa para o torcedor.”

O volante Souza, que será companheiro de Elias na seleção brasileira nos amistosos contra França e Chile, era um dos mais irritados ao deixar o gramado do Morumbi. Perguntado sobre as reclamações do baixo público presente – 18.720 pagantes – o jogador do São Paulo desabafou. “Não adianta pedir raça, não faltou raça, faltou sorte. Espero que a torcida também compareça. Eles cobram, cobram, cobram, e na hora de comparecer, não comparecem.”

O técnico Muricy Ramalho também considerou que não faltou vontade à equipe e acredita que o pênalti perdido por Rogério Ceni na segunda etapa mudou o rumo da partida. “Os jogadores lutaram. Às vezes de forma exagerada, mas eles brigaram e foram para cima. Infelizmente tem horas que não dá. O pênalti a nosso favor foi a grande diferença, ainda com um a mais que a gente tinha em campo. A atitude foi boa. Entendo o torcedor ficar irritado pelo resultado, ainda mais diante de um rival tradicional”, afirmou.

Corinthians e São Paulo voltarão a se enfrentar em 22 de abril, na última rodada da primeira fase da Copa Libertadores, novamente no Morumbi. O Corinthians lidera o chamado “grupo da morte” com seis pontos. São Paulo e San Lorenzo têm três e devem brigar por uma vaga.

(Com Estadão Conteúdo e Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade