CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Brasil de Felipão tenta mostrar grandeza diante da Itália

Equipe tem tido dificuldade para vencer jogos contra equipes entre as 10 melhores do ranking da Fifa

Por Fernando Cesarotti Atualizado em 7 out 2021, 16h40 - Publicado em 21 mar 2013, 07h44

Pentacampeã mundial, seleção mais vencedora de todos os tempos, representante do país do futebol… Os títulos são muitos, mas o futebol mostrado em campo tem sido pouco. E os resultados, igualmente. Nos últimos três anos, o Brasil tem encontrado dificuldade em vencer seleções de ponta, como a Itália, adversária desta quinta-feira, às 16h30 (de Brasília), em Genebra, atualmente a quinta colocada no ranking da Fifa – lista em que a seleção brasileira, hoje, ocupa a 18ª posição. De 2010 para cá, incluídos os jogos da Copa do Mundo na África do Sul, a seleção enfrentou equipes entre as dez melhores do ranking da Fifa em doze ocasiões, e o desempenho é sofrível: são três vitórias, três empates e seis derrotas, um aproveitamento de 33,3% dos pontos disputados. A percepção fica ainda mais incômoda quando se nota que, dessas três vitórias, duas foram contra a Argentina pelo Superclássico das Américas – em jogos em que as duas equipes só puderam contar com elencos limitados a jogadores que atuam no futebol sul-americano. No caso da Argentina, sem Messi, que faz uma diferença e tanto – nas duas vezes em que ele jogou contra o Brasil nesse período, foram duas vitórias argentinas e quatro gols do melhor jogador do mundo.

Os jogos do Brasil contra seleções top 10 desde 2010
DATA JOGO Ranking* TORNEIO
25/6/2010 Brasil 0 x 0 Portugal 3 Copa do Mundo
2/7/2010 Brasil 1 x 2 Holanda 4 Copa do Mundo
17/11/2010 Brasil 0 x 1 Argentina 5 Amistoso
4/6/2011 Brasil 0 x 0 Holanda 1 Amistoso
10/8/2011 Brasil 2 x 3 Alemanha 3 Amistoso
14/9/2011 Brasil 0 x 0 Argentina 9 Superclássico das Américas
28/9/2011 Brasil 2 x 0 Argentina 10 Superclássico das Américas
26/5/2012 Brasil 3 x 1 Dinamarca 10 Amistoso
9/6/2012 Brasil 3 x 4 Argentina 7 Amistoso
19/9/2012 Brasil 2 x 1 Argentina 7 Superclássico das Américas
21/11/2012 Brasil 1 x 2 Argentina 3 Superclássico das Américas
6/2/2013 Brasil 1 x 2 Inglaterra 6 Amistoso

* O número se refere ao ranking da seleção adversária na data da partida

A três meses da Copa das Confederações e a um ano e meio da Copa do Mundo, depois de reestrear com derrota para a Inglaterra, o técnico Luiz Felipe Scolari sabe que não tem muito tempo para mudar essa situação e encontrar um time ideal. Para o jogo desta quarta-feira, ele vai mexer no esquema tático da equipe, adotando um sistema com três atacantes: Fred será o centroavante, municiado pelos pontas Hulk, pela direita, e Neymar, pela esquerda. Oscar ficará responsável pela armação, com Kaká no banco de reservas. “Vamos dar oportunidade para o Kaká mostrar o seu potencial, a sua qualidade, e observá-lo com outros jogadores”, prometeu Felipão, indicando que o meia do Brasil entrará no decorrer do amistoso contra a Itália e provavelmente será titular contra a Rússia, na próxima segunda-feira.

Leia também:

Leia também: Para Buffon, amistoso será ‘teste’ para novatos italianos

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

O que causa maior preocupação no treinador, no entanto, é a defesa. Scolari achou que o seu time ficou muito exposto diante da Inglaterra, quando utilizou dois volantes com características ofensivas – Paulinho e Ramires, ambos machucados e fora da partida. O gremista Fernando e Hernanes, da Lazio, tentarão agradar ao comandante desta vez. Na zaga, a seleção brasileira terá Dante e David Luiz. O experiente Thiago Silva ainda está sem as suas condições físicas ideais e deverá fazer companhia ao amigo Kaká na reserva.

A Itália também não terá uma de suas referências na zaga. Giorgio Chiellini, da Juventus, voltou a sofrer uma lesão no tornozelo esquerdo e foi vetado do amistoso. Seus companheiros de time Barzagli e Bonucci são as opções do técnico Cesare Prandelli para a posição. Assim como Felipão, o comandante italiano tem encarado o amistoso com bastante seriedade. Será uma boa oportunidade para medir o nível em que está a sua equipe, justamente contra um futuro concorrente pelo título da Copa das Confederações deste ano. “Não é todos os dias que podemos enfrentar o Brasil, então temos que tentar fazer tudo do melhor modo possível. Estamos bem preparados, encarando o jogo como se fosse de Eliminatórias. Raça será fundamental”, pregou o veterano meia Pirlo.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês