Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90/mês

Barcelona: um ano após transplante, Abidal joga amistoso

Lateral francês participou de 65 minutos de partida do time B contra o Istres

Por Da Redação Atualizado em 7 out 2021, 16h48 - Publicado em 19 mar 2013, 11h38

“Acho que não vai demorar muito. Dependerá dos técnicos, mas estamos próximos”, disse o médico do Barça sobre a volta do jogador à equipe principal

Pouco menos de um ano depois de ter sido submetido a um transplante de fígado, que colocou em dúvida a continuidade de sua carreira, o lateral francês Eric Abidal disputou nesta terça-feira um amistoso que o Barcelona B fez contra o Istres, clube da segunda divisão do futebol francês. O jogador atuou por 65 minutos no duelo disputado na CT do Barça e escreveu mais um capítulo de superação da sua carreira. No início de seu longo calvário, em março de 2011, o atleta retirou um tumor no fígado. Na época, ele se recuperou do grave problema de saúde antes do previsto e chegou a atuar na decisão da Liga dos Campeões da Europa, no final de maio daquele ano, se consagrando campeão ao lado de seus companheiros.

Durante alguns meses, o lateral jogou normalmente e dava sinais de que a preocupação com seu fígado já havia ficado para trás. Porém, em fevereiro do ano passado, o Barcelona informou que o atleta precisaria passar por um transplante de fígado. A operação, realizada em abril do ano passado, foi um sucesso, mas a sua volta ao futebol profissional foi colocada em xeque. Naquela ocasião, o médico Rafael Matesanz, presidente do Comitê Nacional de Transplantes da Espanha, disse que seria “muito complicado” Abidal seguir atuando profissionalmente, em função dos riscos provocados pelos impactos na região operada, muito frequentes no futebol de alto nível.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga Veja Esporte no Twitter

Após ter sido operado em abril do ano passado, o francês só recebeu alta médica para atuar no último dia 21 de fevereiro. Agora, o médico do Barcelona, Ricard Pruna, já fala de forma otimista sobre a possibilidade de o atleta voltar a jogar em breve pelo time catalão em competições oficiais. “A alta médica foi um passo muito importante porque foi um consenso entre os médicos. Dar a alta médica após uma doença assim não é fácil. O jogador, pouco a pouco, está chegando ao nível de seus companheiros”, afirmou Pruna. O médico do clube, porém, foi cauteloso, evitando marcar uma data para a sua volta aos gramados pelo time principal do Barcelona. “Acho que não vai demorar muito. Dependerá dos técnicos, mas estamos próximos.”

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade
Publicidade