CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Agora é a neblina: Sochi tem um problema com o clima

Depois de uma semana de sol e calor intenso, o que prejudicou o desempenho dos atletas, a neblina e a garoa atrapalham a continuação dos Jogos de Inverno

Por Alexandre Salvador Atualizado em 6 out 2021, 22h24 - Publicado em 17 fev 2014, 06h59

Na última semana, qual foi o principal tópico das conversas entre visitantes, atletas e jornalistas que estão acompanhado a Olimpíada de Sochi? Sim, foi o calor. Enquanto os moradores da cidade litorânea da Rússia aproveitavam os dias de sol e temperaturas na casa dos 20 graus para darem um passeio pela praia, ou até pegarem um bronze, os atletas condenavam as condições da neve nos locais de prova, cada vez mais amolecida pelas temperaturas excessivamente quentes (para os padrões do esporte de inverno, claro). Os membros da imprensa, por sua vez, ironizavam dizendo que era culpa do clima de primavera da sede dos Jogos de 2014. Desde domingo, porém, a reclamação deu uma guinada de 180 graus. Agora, reclama-se da neblina e da garoa que está dificultando a vida dos organizadores russos.

Leia mais:

Falta de neve compromete a prova mais radical dos Jogos

O ‘trenó’ da Jamaica estreia em Sochi bem acima de zero

Isabel Clark cai e fica em 14º no snowboard cross

Brasileiras do bobsled passam bem após acidente com trenó

Duas provas na sede de montanha dos Jogos, em Krasnaya Polyana, a 40 quilômetros do parque olímpico, já foram prejudicadas. A primeira foi a competição de 15 quilômetros para homens do biatlo. A prova, que deveria ter acontecido na tarde de domingo, foi primeiro postergada por causa da densa neblina e depois, também devido à baixíssima visibilidade, transferida para esta segunda-feira. Porém, as condições permaneciam as mesmas às 10 horas da manhã (horário local), quando deveria ser realizada a largada. A competição foi remarcada para terça-feira. A outra prova que teve de ser alterada foi a do snowboard cross masculino. Neste caso, os organizadores decidiram cancelar a tomada inicial de tempos, que serve para organizar as baterias, e ir direto para a fase eliminatória. Ainda assim não foi possível realizar a disputa, que também ficou para terça.

A garoa também prejudicou a vida dos visitantes do parque olímpico, na região costeira. A garoa fina e o vento gelado fizeram com que muitos visitantes repensassem o passeio de domingo, e fossem direto para as arenas fechadas, ou de volta para casa. E a previsão metereológica não é promissora. Essas condições devem persistir até pelo menos a quarta-feira, quando as garoas esporádicas devem cessar. As nuvens, porém, devem permanecer rondando os locais de prova.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade