CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS
#TBT Placar Toda quinta-feira, um tesouro dos arquivos de nossas cinco décadas de história

Há 51 anos, PLACAR fez a primeira pesquisa sobre maiores torcidas do país

Flamengo e Corinthians já apareciam como "os mais queridos" em pesquisa Gallup/PLACAR de dezembro de 1971. Inter e Galo lideravam em suas cidades

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 21 jul 2022, 18h55 - Publicado em 21 jul 2022, 15h49

Quais são as maiores torcidas do Brasil? Nesta semana, o diário O Globo, em parceria com o instituto Ipec, atualizou o debate e apontou o Flamengo como o mais querido nacionalmente, com 21,8% da preferência, seguido por Corinthians (15,5%), São Paulo (8,2%), Palmeiras (7,4%) e Vasco (4,2%). O jornal entrevistou 2.000 pessoas em 128 municípios de todo o país, entre 1º e 5 de julho. A primeira pesquisa deste tipo foi feita há mais de meio século por PLACAR, em dezembro de 1971, o segundo ano de vida da revista. 

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

A redação encomendou ao Instituto Gallup um estudo mais segmentada, para apontar o favorito dos torcedores em quatro capitais: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre. Foram feitas 3.120 entrevistas, entre agosto e novembro de 1971. Na época, mesmo vivendo fases ruins, Flamengo e Corinthians já reinavam no quesito popularidade em suas praças.

Naquela época, coincidentemente o ano da estreia de Zico como profissional, o Flamengo tinha 35% da preferência geral no Rio, seguido pelo Vasco com 18%. A revista ainda apontava uma tendência de crescimento, em razão da maior popularidade rubro-negra entre os jovens de 11 a 17 anos. “Um número espantoso para um clube que há alguns anos apresenta times medíocres”, escreveu PLACAR.

Maiores torcidas no RJ em 1971:

1º Flamengo – 35%
2º Vasco – 18%
3º Fluminense – 16%
4º Botafogo – 14%
5º América – 3%
6º Bangu – 2%
Nenhum – 12%

Trecho da reportagem sobre maiores torcidas em 1971
Trecho da reportagem sobre maiores torcidas em 1971 PLACAR/Reprodução

A situação era semelhante em São Paulo, onde, mesmo amargando uma seca de títulos desde 1954, e que só seria findada em 1977, a torcida corintiana não parava de crescer. Era 29% do total, seguida pelo Palmeiras (17%). “Entre a garotada, 38% integram a Fiel, embora jamais qualquer deles tenha visto o Corínthians ser campeão paulista”, cravou PLACAR – à época, o nome do clube alvinegro era grafado com acento agudo.

Entre o público de 11 a 17 anos, o Santos dividia a segunda posição com o Palmeiras, com 15%. “É a chamada geração Pelé”.  O desinteresse por futebol manifestado pelos entrevistados em São Paulo foi de surpreendentes 28%, bem acima de Rio de Janeiro (12%), Belo Horizonte (9%) e Porto Alegre (6%).

Maiores torcidas de São Paulo em 1971

1º Corinthians – 29%
2º Palmeiras – 17%
3º São Paulo – 15%
4º Santos – 9%
5º Portuguesa – 2%
Nenhum – 28%

Continua após a publicidade

Galo e Inter na frente

BH foi a cidade com disputa mais acirrada, com vantagem do Galo por 43% a 42% sobre o Cruzeiro, o que configurava empate técnico dentro da margem de erro que era de 3 a 4% para a capital mineira. O cenário era semelhante entre os mais jovens, mas com vantagem da Raposa (46% a 44%), com o América Mineiro em queda. A reportagem destacou o “prestígio da equipe de Tostão, Dirceu Lopes, Piazza e Zé Carlos”, mas ressaltou que a preferência cruzeirense pode “ser compensado pela volta do Galo que vai faturar o prestígio de ser o campeão do Brasil e promete armar uma equipe de craques (Mazurkiewicz vem aí).”

Maiores torcidas em Belo Horizonte em 1971

1º Atlético – 43%
2º Cruzeiro – 42%
3º América – 5%
4º Outros – 1%
Nenhum – 9%

Trecho da reportagem sobre maiores torcidas em 1971
Trecho da reportagem sobre maiores torcidas em 1971 PLACAR/Reprodução

Em Porto Alegre, também houve empate técnico dentro da margem de erro, com o Inter à frente com 47% contra 44% do Grêmio. A capital gaúcha foi a cidade com maior proporção de fãs de futebol, mas quase todos divididos entre colorados e tricolores. Entre os mais jovens, a vantagem do Inter era de 54% a 45%.

“A grande diferença entre o Internacional e o Atlético é que o clube gaúcho ganha também entre os jovens. Ou melhor: cresce espantosamente junto à criançada. Por causa da construção do Beira-Rio, de suas incríveis promoções comerciais e do tricampeonato gaúcho, o Inter conseguiu superar o prestígio que o Grêmio conquistara com o hexacampeonato”, escreveu PLACAR.

Maiores torcidas em Porto Alegre em 1971

1º Internacional – 47%
2º Grêmio – 44%
3º Outros – 3%
Nenhum – 6%

A reportagem completa está disponível aqui.

Assine o Amazon Prime e garanta 30 dias grátis de acesso ao Prime Video e outras vantagens

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês