CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS
Elas na Área Por Maria Fernanda Lemos e Mariah Magalhães Notícias, entrevistas e reportagens especiais sobre o futebol feminino

Barcelona x Lyon: onde assistir e tudo sobre a final da Champions feminina

Maior vencedora da competição, equipe francesa encara a atual campeã, em Turim, a partir das 14h (de Brasília) deste sábado, 21

Por Da redação 20 Maio 2022, 18h08

A grande final da Champions League feminina acontece neste sábado, 21, no Allianz Stadium, em Turim, a partir das. 14h (de Brasília) e opõe o maior vencedor do torneio, o heptacampeão Lyon, e o atual campeão Barcelona. A transmissão do duelo fica por conta do canal DAZN na plataforma de serviço em vídeo YouTube.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

O jogo vem sendo tratado como a maior decisão de Champions feminina de todos os tempos, não apenas pelo número de estrelas em campo — o principal duelo é entre a espanhola Alexia Putellas, do Barça, atual melhor do mundo, e a estrela norueguesa Ada Hegerberg, do Lyon, mas também pelo nível apresentado nas fases anteriores.

Campanhas

O Barça iniciou a trajetória Chave C, junto com Arsenal, Hoffenheim e Koge, e avançou em primeiro com 100% de aproveitamento em seis jogos, com 24 gols marcados e um gol sofrido, e 18 pontos na conta. Ao passar para as quartas de final, o time do técnico Jonatan Giráldez venceu o clássico diante do Real Madrid com 8 a 3 no agregado (3 a 1 em Madri e 5 a 2, diante de mais de 90.000 torcedores no Camp Nou).

Na semifinal, o time repetiu o protagonismo e eliminou o Wolfsburg, da Alemanha, com o placar agregado de 5 a 3, e novo recorde de público da modalidade: 91.553 presentes no Camp Nou. Antes da derrota por 2 a 0 para o Wolfsburg no jogo de volta da semifinal, o atual campeão carregava uma incrível sequência de 40 jogos sem perder. A principal arma do clube catalão para esta decisão é a craque Alexia Putellas, artilheira da competição com 10 gols marcados e duas assistências.

Já o Lyon da zagueira e capitã Wendie Renard, referência da seleção francesa, caiu no Grupo D junto com Bayern de Munique, Benfica e Hacken, e se classificou na primeira posição com 15 pontos, tendo acumulado cinco vitórias e apenas uma derrota, com 19 gols marcados e dois sofridos. Nas quartas, eliminou a Juventus, que sonhava em jogar a decisão em casa, com 4 a 3 no agregado, e na semifinal venceu o clássico diante do Paris Saint-Germain pelo placar acumulado de 5 a 3.

Catarina Macario chegou ao Lyon no ano passado
Catarina Macario chegou ao Lyon no ano passado @Lyonfeminine/Twitter

O maior ganhador do torneio (venceu em 2011, 2012, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020) contará com a uma “joia maranhense”: Catarina Macario, brasileira naturalizada americana, que marcou oito gols, contando os duelos dos playoffs diante do Levante, sete a partir da fase de grupos).

Aos 22 anos, a atleta que desde o ano passado defende a seleção dos Estados Unidos, é uma das candidatas a craque do torneio. Além disso, a decisão marca também a redenção da norueguesa Ada Hegerberg, dona de duas Bolas de Ouro, que se recuperou de lesão e voltou a atuar em grande nível.

A camisa 14 do Lyon detém a marca de 58 gols em 59 partidas, sendo a maior artilheira da história da competição, com cinco troféus consecutivos conquistados, entre 2016 e 2020. Nesta temporada, Ada foi titular em seis confrontos e marcou cinco gols.

Continua após a publicidade

Alexia, do Barcelona, e Ada, do Lyon, lutam por Bola de Ouro -
Alexia, do Barcelona, e Ada, do Lyon, lutam por Bola de Ouro – Barcelona / Lyon/Divulgação

Evolução culé, reformulação francesa e premiação quadriplicada

O duelo tem sabor de revanche para o Barcelona. Em 2019, o time chegou pela primeira vez à final e foi goleado impiedosamente pelo Lyon por 4 a 1, em Budapeste, na Hungria. Desde então, o time catalão experimentou mais uma semifinal e o título no ano passado, enquanto a equipe francesa perdeu até mesmo a hegemonia na França para o PSG.

Se o Barça evoluiu e hoje é visto até como favorito ao título, o Lyon precisou reformular seu elenco para retomar o reinado. No último verão, o clube contratou atletas de renome como a chilena Christiane Endler, considerada a melhor goleiro do mundo, a lateral francesa Perle Morroni, a meia holandesa Danielle Van de Donk, entre outras.

O Lyon ainda tem um elenco bem mais badalado. Segundo informações do diário catalão Mundo Deportivo, a folha salarial do time francês está avaliada em 10 milhões de euros (51 milhões de reais pela cotação anual) por temporada, mais que o dobro do Barça, entre 4 a 5 milhões de euros.

Com a entrada de patrocínios e um novo contrato de televisão, a Uefa quadruplicou a premiação total para 24 milhões de euros (123 milhões de reais) a ser dividida entre todos os participantes. Quem erguer o troféu em Turim neste sábado ficará com um total de 1,4 milhões de euros, três vezes mais do que os 460.000 que o Barça levou no ano passado.

Confira a programação e onde assistir à final deste sábado:

Champions League

14h

Barcelona x Lyon – DAZN (YouTube)

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Impressa + Digital no App

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital no App

a partir de R$ 9,90/mês