ASSINE PLACAR DIGITAL NO APP POR APENAS R$ 6,90/MÊS
Entorta-Varal

Conceito revolucionário: Puma planeja lançar camisas sem escudo dos clubes

Uniformes que terão o nome das equipes no lugar dos emblemas foram divulgados por site especializado, mas ainda estão sujeitos à aprovação dos clubes

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 23 set 2021, 14h39 - Publicado em 14 Maio 2021, 09h30

“O escudo pode mudar, mas é o nome que cria um legado”. Segundo informações do site uruguaio Todo Sobre Camisetas, especializado em camisas de futebol, este será o lema utilizado pela Puma para lançar uma nova coleção de uniformes para a próxima temporada. A nova proposta de design é ousada: saem os emblemas de grandes clubes como Milan, Manchester City, Borussia Dortmund, Olympique de Marselha, entre outros, e entram os nomes da equipe, dentro de duas faixas horizontais.

Entorta Varal, o novo blog de PLACAR que a partir desta sexta-feira, 14, destacará as novidades deste mercado, apurou que os modelos ainda não estão aprovados por todos os clubes e, por isso, ainda estão sujeitos a mudanças de última hora. Procurada, a Puma não quis comentar o assunto.

Rascunhos dos desenhos da Puma, no entanto, já vazaram nas redes sociais e ilustradores deram vida aos modelos mesmo antes do lançamento oficial. A página Esvaphane produziu algumas das amostras digitais mais interessantes.

As camisas são realmente inovadoras, nem tanto pela ausência dos escudos, mas pela inscrição de seus nomes, em um tamanho tão grande quanto o dos patrocínios logo abaixo. Nos primórdios do futebol, era comum que as camisas não tivessem o logo das agremiações, apenas as respectivas cores, com suas faixas e detalhes que identificassem a equipe em questão.

Na Itália, até o fim da década de 90, também era comum que o atual campeão utilizasse o tradicional scudetto, como é chamado o ícone nas cores da bandeira nacional, no lugar dos emblemas. Hoje, arruma-se espaço para ambos. O nome dos times também já apareceram em camisas, mas geralmente em tamanhos bem menores e em outros locais, como na barra ou nas golas.

Zico e Falcão
Zico, da Udinese, e Falcão, da Roma, em 1983 – time da capital era o dono do scudetto Calzuola/Dedoc

A novidade já causou as primeiras reclamações. O Borussia Dortmund, aliás, respondeu às críticas e deu a entender que o vazamento não corresponde ao modelo final, que deverá ser usado nas Copas. “Queridos torcedores, suas críticas à camisa da Copa para a nova temporada foram recebidas. A camisa vazada não parece com a que realmente será. Então, por favor, sejam pacientes”, escreveu o clube. 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Modelos da Eurocopa tem versão mais ‘light’

A Puma  já havia lançado um conceito inovador, um tanto semelhante, nos uniforme reservas que serão utilizados pelas seleções de Itália, República Checa, Suíça e Aústria na Eurocopa. Os modelos tiveram o emblema de suas federações reduzido e aplicados de forma centralizada, junto ao da fornecedora alemã.

Os uniformes, portanto, fogem um pouco do padrão, que costuma ser: logo da marca à direita do jogador e escudo à esquerda. Outra novidade é a inscrição do nome da seleção no peito (em uma fonte bem menos do que a utilizada nas camisas de clubes).

Uniformes da Puma lançados para a Eurocopa 2021 -
Uniformes da Puma lançados para a Eurocopa 2021 //Divulgação

Os desenhos não seguem exatamente o mesmo padrão. No caso da Itália, o logo da Puma e o escudo da federação ficam lado a lado, separados por uma linha vertical. No caso de Suíça e República Checa, os emblemas foram colocados abaixo da marca, em um tamanho bem menor do que o habitual.

Já o uniforme da Áustria traz a maior das inovações, já antecipando a moda que está por vir entre os clubes: não há um, mas dezenas de escudos, só que em forma de marca d’água, ficando praticamente invisíveis à distância. O novo conceito, no entanto, só é visto nos uniformes reservas e de goleiro – os titulares mantém a configuração tradicional.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por PUMA Football (@pumafootball)

As camisas dividiram opiniões nas redes sociais. A reclamação mais recorrente é a de que parecem mais de treinamento do que de jogo. Segundo Heiko Desens, diretor global de Criação e inovação, o “objetivo era criar um design inovador que traz novidades e energia”. “Queremos continuar a ultrapassar os limites e este é apenas o começo de uma nova direção empolgante”, alertou. Os próximos lançamentos corroboram sua promessa. 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade