Placar

Assine!

Libertadores

Victor salva Atlético-MG no Horto e garante vaga na semifinal

O goleiro pegou pênalti de Reascos aos 46 minutos do segundo tempo

Por: Gazeta Press - Atualizado em

Victor defende atletico mg reuters
Victor defende pênalti no final da partida contra o Tijuana pela Libertadores, no dia 30 de maio de 2013 | Crédito: Washington Alves/REUTERS

A torcida atleticana que lotou o Independência nesta quinta-feira presenciou um jogo nervoso entre Atlético-MG e Tijuana, mas no final saiu com a sensação de dever cumprindo, já que o Galo matou os mexicanos no Horto. Os alvinegros empataram por 1 x 1, e avançaram para as semifinais da Libertadores pelo critério do gol marcado fora de casa, já que na partida de ida, o placar ficou no 2 x 2, no México.

Antes do jogo, a torcida promoveu uma verdadeira festa para receber o Atlético-MG no Independência, mas dentro de campo, a partida foi muito disputada, com o Galo encontrando dificuldades na boa marcação dos Xolos. O Tijuana abriu o placar em uma bela finalização de Riascos, os brasileiros só chegaram ao empate no finalzinho do primeiro tempo com o zagueiro Réver. Na etapa final Victor defendeu um pênalti e salvou o Galo.

Classificado para a semifinal da Libertadores, o Atlético-MG vai encarar o Newell's Old Boys, que eliminou o Boca Juniors. O confronto entre brasileiros e argentinos vai ocorrer somente depois da disputa da Copa das Confederações. O Galo, agora, volta às atenções para o Brasileirão, no domingo, os atleticanos recebem o São Paulo, no estádio Independência.

O jogo - O Atlético-MG iniciou a partida errando alguns passes e um pouco nervoso, mas rapidamente o time mineiro se acertou em campo e passou a ter o controle da partida. Os mexicanos, porém, não se intimidaram com a pressão do Horto, e procuraram agredir o Galo, gerando um jogo aberto e movimentado.

Com as linhas de marcação compactadas, os jogadores Xolos acompanharam de perto as principais peças ofensivas do Atlético-MG, dificultando a troca de passes do quarteto alvinegro. Dessa forma, o Tijuana equilibrou as ações e chegou, inclusive, a balançar as redes com Gandolfi, mas o árbitro chileno Patricio Polic enxergou impedimento no lance.

O Atlético-MG encontrou espaço para conduzir a bola até o meio-campo, a partir daí os mexicanos marcaram sob pressão, obrigando o Galo a girar bola de um lado para outro, com Bernard e Tardelli trocando de posição para criar as jogadas. Percebendo o empenho da equipe, a torcida passou a jogar junto com o time nas arquibancadas do Independência.

Apesar da força da torcida, quem chegou ao gol primeiro foi o Tijuana. Aos 25, Riascos aproveitou cruzamento da direita e finalizou de primeira, no canto esquerdo do goleiro Victor, abrindo os trabalhos no Horto. O Galo tentou dar a resposta na sequência com Marcos Rocha, mas o goleiro Saucedo fez grande defesa, mandando para escanteio.

Bem marcado, o craque Ronaldinho produziu pouco até aos 38 minutos, quando começou a brilhar e cobrou falta com muito perigo, mas a bola passou sobre a meta do goleiro mexicano. Aos 40, R10 cobrou nova falta com perfeição, e encontrou o zagueiro Réver com liberdade dentro da área, o defensor só teve o trabalho de empurrar para as redes e enlouquecer a torcida alvinegra no Independência.

Réver marcou o gol de empate que classificou o Atlético-MG
Réver marcou o gol de empate que classificou o Atlético-MG | Crédito: YURI EDMUNDO/Gazeta Press

Precisando da vitória para seguir na Libertadores, o técnico da equipe mexicana, Antonio Mohamed, voltou para o segundo tempo com uma formação mais ofensiva, com Fidel Martinez no time. Com o jogo muito trucando, a bola parou várias vezes nos primeiros minutos, aumentando a tensão dos atletas e campo.

Sem arriscar muito, o Galo passou a marcar atrás da linha do meio-campo, na expectativa de encaixar uma jogada em velocidade para virar o placar. Com essa postura, os mexicanos ganharam moral no duelo, criando algumas oportunidades de marcar. Aos 24, o Tijuana conseguiu ótima trama ofensiva, que acabou com Martinez na cara de Victor, o goleiro operou verdadeiro milagre para evitar o gol.

Preocupado, o técnico Cuca passou a orientar os atletas em campo, pedindo calma. Com dificuldades para chegar ao gol dos Xolos tocando a bola, os brasileiros arriscaram conclusões de fora da área, mas sem sucesso. Melhor no jogo, o Tijuana silenciou o Independência em boa parte do segundo tempo, mostrando um futebol de muita marcação e vontade.

Aos 35, Arce cobrou falta com maestria e acertou o travessão de Victor, fazendo o torcedor alvinegro prender a respiração nas arquibancadas. Aos 46, Arce lançou Aguilar, que foi derrubado pelo zagueiro Leonardo Silva, o árbitro chileno Patricio Polic marcou pênalti no lance. Na cobrança, o goleiro Victor salva o Galo e leva os torcedores às lagrimas, garantindo a classificação.

 

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 1 X 1 TIJUANA-MEX

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data: 30 de maio de 2013 (quinta-feira)

Hora: 22h (horário de Brasília)

Árbitro: Patricio Polic (CHI)

Assistentes: Juan A. Maturana e Raul Orellana (ambos do Chile)

Cartões amarelos: Marcos Rocha, Victor; Gandolfi, Pellerano

Cartão vermelho: Réver

Público: 20.988 pagantes

Renda: R$ 1.771,875

Gols: Riascos, aos 25 e Réver, aos 40 do 1º

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha (Josué), Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete, Tardelli e Ronaldinho; Bernard (Luan) e Jô (Alecsandro). Técnico: Cuca

TIJUANA: Saucedo; Núñez, Ortíz (Fidel Martinez), Gandolfi e Edgar Castillo; Pellerano, Fernando Arce, Pablo Aguilar e Richard Ruíz (Marquez); Moreno (Bruno Piceno) e Riascos. Técnico: Antonio Mohamed

Fonte: Gazeta Press