Placar

Assine!
Patrocinadores Abril na Copa

Corinthians

Corintiano preso por 5 meses em Oruro é identificado em briga de Brasília

Segundo jornal, o integrante da Gaviões da Fiel, Leandro Silva de Oliveira, aparece em vídeo participando da confusão no Mané Garrincha

Por: Gazeta Press

Gazeta Press

Um dos 12 torcedores presos por cinco meses após a morte do garoto Kevin Espada, de 14 anos, em Oruro, na Bolívia, foi identificado durante a briga que envolveu torcedores de Corinthians e Vasco, no último domingo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

Integrante da Gaviões da Fiel, Leandro Silva de Oliveira aparece sem camisa e correndo em direção aos torcedores vascaínos durante o confronto nas arquibancadas do estádio. Além disso, imagens de TV mostram Oliveira enfrentando policiais militares, sendo atingido por spray de pimenta e, na sequência, trocando socos e pontapés com torcedores rivais e policiais.

Conhecido como Soldado, ele foi um dos primeiros a iniciar o confronto contra os vascaínos, ainda durante o intervalo da partida. Como não havia divisória entre as torcidas, integrantes de uma organizadada do Corinthians (rival histórica de uma facção vascaína) partiram para cima dos uniformizados adversários e iniciaram a briga.

Em um primeiro momento, Leandro Oliveira chegou a ser contido por policiais e recuou. Porém, com a chegada de mais corintianos, voltou a atacar, agora em mais número. Torcedores do Vasco partiram para o confronto e a confusão aumentou. Só foi acalmada minutos depois, quando policias interviram com cassetetes e spray de pimenta.

Leandro Silva de Oliveira, o Soldado, foi preso com outros onze torcedores do Corinthians no último dia 20 de fevereiro, em Oruro, na Bolívia, após a morte do jovem Kevin Espada, de 14 anos. O garoto boliviano assistia à partida entre o time brasileiro e o San José, pela primeira fase da Copa Libertadores da América, e foi atingido por um sinalizador lançado das arquibancadas em que estavam os alvinegros.

Oliveira permaneceu detido por cinco meses e só saiu da prisão no dia 2 de agosto, junto com outros quatro torcedores, por falta de provas. Um mês antes, pelo mesmo motivo, os outro sete corintiano também haviam sido liberados. Ainda de acordo com o Estadão, Soldado não foi o único entre os 12 presos em Oruro que esteve domingo no Mané Garrincha. Hugo Nonato, conhecido como São Luiz, também assistiu ao jogo em Brasília. Não é possível, entretanto, identificá-lo nas imagens da briga.